EU+TU= NÓS na nossa 1º viagem!

Partimos cedo, rumo ao Douro, num dia que ameaçou ser cinzento, mas que rapidamente se transformou numa alegre e sonora sinfonia de sons e cores.

Cores de outono que começam a espalhar-se pela Mãe Natureza.

Cores dos rostos iluminados pelos sorrisos na alegria da descoberta.

E sons. Sons das vozes dos nossos pequeninos, que enchem o ar de risadas e conversas simples numa alegria constante…

Foi um dia diferente e bastante ansiado. As experiências, essas, ficarão certamente guardadas num lugar especial.

A nossa viagem começou por aquela estrada de montanha, onde “furamos as nuvens” e seguimos lado a lado com elas.  Encontramos vacas que nos fizeram parar, porque simplesmente decidiram passar à frente dos nossos autocarros para continuarem a tomar o seu pequeno-almoço!

Mas as surpresas não ficaram por aqui, desta vez o autocarro não parou à porta de nenhuma casa ou portão, para alcançarmos o nosso destino.

Desta vez tivemos de caminhar e subir pelo meio da mata num trilho irregular, rodeado de árvores, pedras, o barulho do vento e o cantar dos pássaros apenas interrompido pelas vozes de quem queria alcançar rápido a Quinta que os esperava. O caminho até à Quinta foi uma ótima prova de coordenação, equilíbrio e resistência.

Destino alcançado. Energias recarregadas com um lanchinho preparado com carinho pelos nossos papás e a aventura continuou…

Uns para a horta mexer e preparar a terra para receber pés tenros de alface, outros seguiram a correr para a vinha!

Mas afinal que é isto de vindimar? Um jogo de escondidas. Pois por entre as folhas verdes, vermelhas e amarelas da ramada, espreitam os olhinhos pretos das uvas!

São mesmo elas que temos de apanhar, cortar, colocar no balde e…pisar!

Pés descalços! Sensação estranha, algo nova de calcar bolinhas que se desfazem debaixo dos nossos pés e os pintam num tom vermelho, cor quente de outono!

E agora? Uma piscina… apenas um tanque de água fresca e cristalina vinda da mina onde mergulhamos os pés e fizemos desaparecer aquela tinta natural!

A manhã rapidamente passou e deu lugar à hora de almoço ao ar livre.

Na eira debaixo da ramada, a comida de sempre, preparada com o amor da nossa cozinheira, numa paisagem diferente!

E depois... a magia aconteceu. A sesta com a música da natureza relaxou os mais pequeninos.

Já os nossos finalistas, deram largas à sua imaginação, reciclando e transformando o que já não nos faz falta num grande, colorido e simpático espantalho!

Brincaram até não aguentar mais.

Mas a hora do regresso chegou. Momento de gratidão com quem nos abriu as portas da sua casa, nos recebeu de braços abertos e nos deixou explorar aquele lugar que também achamos mágico e que começa a ser um bocadinho nosso! Somos sempre tão felizes ali...

Para terminar, apenas fica um pedido... Podemos voltar?